Filosofia de bebado

Passa-se a noite a filosofar e discutir sobre o amor, a resposta veio. É vazia e sem sentido, mas já serve. Entre cigarros e dúvidas descobre-se: Uma desilusão é pouco pra se ter sofrido muito. Essa mesma desilusão é a desculpa tola de quem fere o outro. Uma declaração de amor é vaga e breve enquanto dura o respeito. A ingenuidade é uma benção.

Teoria: Cicatrizes são como marcas na madeira. O tempo passa e as marcas ficam, são registros de eventos e de uma vida. Maneira única de guardar em nós os fatos sem que seja na lembrança.

Conselho: Cuide que um desejo ou descuido seu não machuque quem lhe gosta.

O que importa é poder rir e se divertir com coisas bobas.

Nada com isso

A conta

 

O que falta pra que possamos ser livres?

A morte.

O que nos livrará deste dilema?

A resposta.

O que sobrará de tal pecado?

A certeza.

Não podemos saber sem fazer.

Não podemos viver sem saber.

Mas com a resposta virá a conta.

Você se arriscaria a pagar?

Com a consciência, Com a vida?

Com rancor, com desprezo?

Com tudo, com arrependimento?

 

 

Nada com isso

 

Tanta coisa ainda há em mim.

De bom, de louco, de confuso.

Passaria a noite a escrever e ainda me sentiria cheia.

Mas você, caro leitor não tem nada com isso.

Então boa noite.